Guia Marcelo Dourado de como cuidar do seu dinheiro

Caro Marcelo,

Começo esta pequena carta te dando os parabéns pela vitória no BBB. O que conseguiste é resultado do excelente aproveitamento de algumas das características dos grandes empreendedores, a citar: a sorte, o senso de oportunidade, a análise dos erros do passado e a busca pelo aperfeiçoamento pessoal. Mostraste a todo o Brasil a força de um guerreiro.

Haverá pessoas que não concordarão com algumas das tuas opiniões sobre a vida e sobre as pessoas. Mantém a força no que acredita, mas sempre olha para os lados para verificar se o mundo já mudou e esqueceste de acompanhar, ou se, pior que isto, mudaste junto, mas não estás conseguindo transmitir o que sentes de forma efetiva.

Deixando o passado para trás, gostaria de tratar de um assunto que me é muito próximo: como lidar com o dinheiro. Tu já deves ter lido em tudo quanto é lugar que a maioria das pessoas que ganham prêmios em dinheiro costumam perder tudo em poucos anos. Certamente acompanhaste teus outros companheiros ganhadores do Big Brother e viste que a maioria não soube muito bem como lidar com o prêmio de maneira efetiva, de maneira a resolver para sempre suas vidas. Não gostaria que isto acontecesse contigo, nem com ninguém, então continuo minhas reflexões nas próximas linhas.

As lições sobre como cuidar do nosso dinheiro são simples, o problema é que somos humanos, e como tais, emocionais demais. Então a primeira grande lição é aprender a controlar nossa emoção ao tratar de dinheiro. A vontade de ajudar as pessoas próximas é nobre, mas não podemos deixar que esta emoção nos faça as ajudar da maneira mais rápida e mais simples, porque esta, normalmente, é a menos efetiva. Já li por aí que queres ajudar tua família, dar uma casa para tua mãe, etc. Acredito que devas fazer o que tem vontade, mas de maneira que não te coloque em situação precária no futuro.

Primeira lição: saber a diferença entre ativos e passivos.

Um contador formal iria se arrepiar lendo isto, mas para definir ativos e passivos irei utilizar as palavras do Robert Kiyosaki, escritor famoso internacionalmente pela série de livros “Pai Rico, Pai Pobre”. Ele diz que ativo é tudo aquilo que coloca dinheiro em teu bolso. E passivo, tudo aquilo que tira dinheiro do teu bolso.

Se tens um apartamento que esteja alugado, este apartamento é um ativo. Se tens uma aplicação bancária ou uma caderneta de poupança que renda juros, isto também é um ativo. Se és sócio de uma empresa que te paga dividendos trimestrais ou mesmo anuais, esta participação na empresa é um ativo.

Se tens um apartamento para morar, um apartamento onde precisas pagar condomínio, IPTU, gás, luz, limpeza, este apartamento é um passivo. Se tens um carro que precisa de seguro, manutenção, gasolina, IPVA, este também é um passivo.

A questão aqui não é deixar de ter o que tu gostaria de ter, muito pelo contrário. O ponto central de compreender a diferença entre ativos e passivos é justamente nos permitir obter o máximo de resultados a partir do que temos. Vou dar um exemplo rápido: imagina que tens R$ 80.000 no banco e queres comprar um carro. Como tu farias para comprá-lo?

Muitas pessoas, ao serem confrontadas com a pergunta acima, comprariam o carro a vista, argumentando que assim não pagariam juros. Os juros são irrelevantes para a questão, é preciso dar um passo além no pensamento. O importante não é evitar os juros, o importante é não sermos nós a pagarmos os mesmos.

Supondo que tu compres o carro a vista, o que acontecerá daqui há cinco anos? Tu terás um carro que gostaria de trocar, mas ele não vale mais os R$ 80.000 que custou, vale menos da metade. E para trocar por um novo, precisarás gastar dinheiro novo, ou seja, tiveste que guardar dinheiro ao longo destes cinco anos para poder trocar de carro.

Com os R$ 80.000 em dinheiro, não compraria um carro, compraria um apartamento para alugar. E com o dinheiro recebido mensalmente de aluguel, compraria o carro, parcelado. Quem pagará meu carro e os juros do financiamento do mesmo, será o inquilino deste meu apartamento. E mais, daqui alguns anos, quando meu carro estiver quitado, eu poderei vendê-lo e usar o dinheiro recebido para dar de entrada em um novo, que terá o restante pago novamente pelo inquilino do apartamento que comprei. Com o valor de apenas um carro, posso ter carro novo pelo resto da vida, além de um imóvel de minha propriedade.

O apartamento para alugar é um ativo, gera renda mensal para ti. O carro é um passivo, tem custos para manter. O maior segredo para manter tua riqueza ao longo dos anos, é sempre procurar um ativo que te permita adquirir os passivos que desejas sem precisar se desfazer do teu dinheiro. Isto é uma pequena introdução ao conceito de fluxo de caixa.

Como hoje é sábado, véspera de Páscoa, acabei de voltar da minha caminhada matinal e dentro de uma hora vou almoçar com a família da minha esposa, termino esta carta por aqui para poder ir tomar um banho e sair. Dentro de alguns dias escrevo novamente, ampliando esta discussão.

Um grande abraço deste amigo gaúcho.

Um pensamento em “Guia Marcelo Dourado de como cuidar do seu dinheiro”

  1. ATENÇÃO.

    Este post não aprova nem desaprova o pensamento ou as atitudes do Marcelo Dourado. Não o conheço pessoalmente e não tenho a menor intenção de julgá-lo, positiva ou negativamente. Se você é fã ou detrator dele, por favor discuta sobre a pessoa pública em outro lugar. Aqui, vamos manter a atenção na questão de finanças pessoais.

    Os comentários estão fechados neste post para evitar polêmicas desnecessárias.

Os comentários estão desativados.