Como comprar um carro

Descubra tudo o que você precisa saber para comprar um carro.

Você vai até a revenda previamente selecionada, escolhe o carro que gosta, paga e sai dirigindo!

A melhor marca de carro que existe: NOVO!
A melhor marca de carro que existe: NOVO!

Falando sério agora. Estou muito feliz. Comprei meu primeiro carro zero quilômetro. Comprei segunda-feira, paguei na terça, busquei hoje. Completo. Foi um upgrade total, novo, maior, mais potente e confortável. O fato de poder comprar antes ou não é totalmente irrelevante, a coisa só acontece quando acontece. E por vários motivos, alguns referentes a minha cabeça dura, só aconteceu esta semana.

Então aí está, carro novo. Peguei no meio da tarde, ouvi as explicações da vendedora para poder “receber” o carro oficialmente, saí da revenda e fui buscar minha esposa na Renner. Completei o tanque (revendas, seria uma grande cortesia entregar o carro com o tanque cheio para os clientes) e fomos até o Barra Shopping dar uma voltinha. Lembrando que moramos na zona norte e o shopping fica na zona sul, tudo por um passeio 🙂

O mais engraçado é que fui buscar ele logo após começar o rascunho de um artigo do Dr. Money para a revista Papo de Homem em que tratarei justamente da compra de um carro. Para dar uma palhinha mas ao mesmo tempo não tirar a graça, seguem alguns dos tópicos que irei explorar no artigo em questão.

  • Compre um carro usado e economize a maior parte da depreciação do mesmo
  • Compre um carro novo e fique com ele por dez anos
  • Regra 20-4-10: no mínimo 20% de entrada, financiados por menos de 4 anos, comprometendo até 10% dos seus rendimentos
  • Nunca financie um bem depreciável como um carro, compre a vista e comece a guardar dinheiro imediatamente para o próximo
  • Custo médio mensal de possuir um carro é o valor do carro dividido por 30
  • Regra de no máximo 10% do patrimônio total

As regras acima não são absolutas, dá para notar que algumas são completamente opostas à outras, ou seja, dependendo do caso ou da situação de cada um, é aplicada uma fórmula diferente. Algumas regras, porém, podem sim ser vistas como absolutas.

ATUALIZAÇÃO: Publiquei na revista Papo de Homem o artigo sobre como comprar um carro.

Para os pão-duros radicais que as vezes me usam como exemplo só porque eu gosto de falar em dinheiro, sinto decepcioná-los. Mas eu gosto de falar de dinheiro, ganhar dinheiro e principalmente aproveitar as coisas boas que o dinheiro pode proporcionar. Hoje foi este carro.

12 pensamentos em “Como comprar um carro”

  1. putz mas tu é tão pão-duro que comprou o focus antigo só pq é mais barato 😛

    brincadeiras a parte (esse carro é otimo custo-beneficio) comprei meu primeiro carro novo mas pretendo ficar com ele um bom tempo, só que 10 anos é muuuito…(falo em 4 e me acham louco por passar tanto tempo com um carro…)

    1. Oi Leonardo,

      Por incrível que possa parecer, o Focus antigo é mais legal que o novo, com o interior todo forrado e estofado, enquanto que no novo, apesar de bem mais caro, todos os detalhes serem em plástico sem forro. Falo das laterais internas nas portas, do console, etc. Junta a isso o motor mais econômico, o custo menor e o upgrade em relação ao meu carro anterior já ser enorme, para ver como foi simples de escolher.

      Já as “regrinhas” para a compra de um carro, são apenas sugestões práticas baseadas na experiência de diversos especialistas. No artigo completo sobre o assunto explico cada uma em mais detalhes, dando as motivações de cada uma.

      Meu último carro estava ótimo, só era mais simples e “peladinho” do que eu precisava neste momento. Já estava com ele há seis anos e poderia tranquilamente ficar mais um ou dois. Além disso, tinha comprado já com um ano de uso. Então ficar 10 anos com um carro adquirido novo não me parece tão difícil assim, principalmente levando em conta que é um carro bem melhor do que o anterior na questão de acabamento. Tu pode notar isso facilmente ao ver Mercedez com 20 anos de uso rodando melhor e mais silenciosas do que carros mais simples com apenas três ou quatro anos. Então o modelo de carro que tu adquire também deve levar em conta esta questão da durabilidade no cálculo do custo.

      No mais, valeu a leitura e o comentário aqui.

      Abraço,
      Fabricio.

  2. acho que como eu falei ficar 10 anos com o carro é muito por uma questão cultural da cidade onde moro (São Luís – MA), a “capital do carro novo”… mas vou pensar depois de ter lido teu artigo em passar uns 10 anos com o meu já que comprei ele novo (erro 1) e financiado (erro 2)

    abraço

    1. Leonardo,

      As regrinhas que listei são apenas isso, orientações genéricas que devem ser pensadas em relação a teu momento pessoal. No meu caso, também comprei um carro novo e não considero isso um erro para o meu momento atual. Teria sido um erro se fizesse isso há 15 anos, quando ainda não tinha um apartamento próprio. Hoje, foi só um mimo que me dei de presente.

  3. o focus é um ótimo carro, já trabalhei em uma consecionaria da ford e tive o prazer de dirigir alguns. Parabéns pelo carro.

    acompanho seus textos no Papo de Homem, me interesso bastante por investimentos, estou lendo alguns livros sobre o assunto e tirando muito proveito. Ha pouco tempo atras eu era um simples funcionário, assalariado, mas fui juntando minha graninha todo mes, investindo, tendo paciencia, agora comprei a empresa onde eu era apenas o funcionario, aumentei minha renda consideravelmente, e aumentei minha contribuição mensal para o futuro, bem mais q os 10%.

    Engraçado que este é o principio basico de muitos livros sobre dinheiro, pagar-se a si mesmo em primeiro lugar, e com certeza vale a pena seguir isso.

    Variar a renda é impressindivel, a minha vem de tres fontes diferentes, mas não fujo dos padrões de vida que tinha antes, apenas algumas regalias de vez em quando, pq acho q devemos nos dar ao prazer de um bom restaurante no final de semana, comprar um equipamento q nos auxilie no dia a dia.

    Puxa… pensei em fazer um breve comentário sobre o carro…. acabei me empolgando.

    mas parabéns pelos artigos, são minhas prioridades em relação a outros no Papo de Homem.

    Abraços!

    1. Oi Marcelo,

      Um presentinho de vez em quando é essencial para nos lembrar que a vida é para ser vivida. Eu também guardo bem mais do que os 10% por mês, mas só porque hoje consigo fazer isso sem comprometer um padrão de vida que para mim é adequado.

      E a “lei” de pagar primeiro a sí mesmo e a de ter mais de uma fonte de renda são realmente muito simples e muito importantes. Impressionante que com tantos exemplos a maioria das pessoas continue cometendo sempre os mesmos erros de viver acima do que ganham.

      Abraço,
      Fabricio.

  4. Parabens pelo Focus.

    Eu gostaria de comprar como meu 1º carro zero o Fiesta.

    Fabricio, nunca considerou esse carro?

    Marcelo, o que acha dele?

    Abra;os!

  5. Parabéns pelos artigos Fabrício. Comecei a acompanhar há pouco tempo e tenho gostado bastante.
    Aproveito a oportunidade para fazer uma pergunta: comecei a trabalhar em uma cidade um pouco distante da minha cidade natal (uns 200 km) e a minha renda mensal gira em torno de 1000,00.
    Seria a hora de comprar um carro e parar de andar de onibus (vou um fds sim e um não pra minha cidade, custando 55,00 a ida e a volta) ou continuar a andar de onibus e esperar mais tempo para comprar o carro.

    Um abração e obrigado pela atenção.

    1. Oi Renan,

      Ir e voltar de carro, mais os custos do mesmo sairá bem mais caro. Além disso, com R$ 1000 por mês, comprar que carro? Por outro lado, um carro também implica em algum conforto, então a única pessoa que pode decidir por comprar ou não és tu mesmo. Financeiramente, não.

  6. Ei Fabricio! Boa tarde. Obrigado pela atenção.
    Acho melhor esperar mesmo pra comprar o carro…

    E mais uma vez, parabéns pelo site.

Os comentários estão desativados.